| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • You already know Dokkio is an AI-powered assistant to organize & manage your digital files & messages. Very soon, Dokkio will support Outlook as well as One Drive. Check it out today!

View
 

A resistência à invasão castelhana

Page history last edited by Helena Felizardo 9 years, 11 months ago

A Revolução de 1383 -1385 

resistência à Invasão Castelhana

 

Grupo 3: Rodrigo Gomes, Francisco Miguel, Bruno Amaro, Gonçalo Fonseca, Sara Figueiredo 

 

I

 

 

Texto da entrevista:

 

 - Que razões levaram o rei de Castela a invadir Portugal? 

 - O rei de Castela estava casado com D. Beatriz, filha de D. Leonor Teles (viúva de D. Fernando). Por morte do rei D. Fernando,o rei de Castela considerava que tinha direito de sucessão.O povo não gostou desta atitude, tal outros grupos sociais como os  mesteirais comerciantes e muitos nobres letrados e clérigos de várias proveniências. Todos estes grupos viam o filho ilegítimo de D. Pedro I, D. João, Mestre de Avis, como um forte pretendente ao trono. Por isso o apoiavam. O Rei de Castela não aceitava de boa mente este apoio ao Mestre de Avis e decidiu cercar Lisboa para impor a sua autoridade.

 

- Quem liderou a resistência portuguesa? 

- Quem liderou a resistência portuguesa foi D. Nuno Álvares Pereira contra as tropas castelhanas.Ao serviço do Mestre de Avis, venceu  os castelhanos na batalha de Atoleiros (Alentejo). Pouco tempo depois o rei de Castela cercou a cidade de Lisboa. Quando regressou a Castela organizou um poderoso exército para invadir de novo Portugal.

 

- Porque se reuniram as cortes em Coimbra?

- Em 1385 reuniram-se as Cortes em Coimbra. Esta Cortes tinham como objectivo resolver a grave situação política e legitimar uma solução para o problema da sucessão do trono, por falta de sucessor do rei D. Fernando.

 

- Que argumentos usou João das Regras a favor do Mestre de Avis? 

- Nestas Cortes de Coimbra, João das Regras defendeu que nenhum dos pretendentes (D. Beatriz,  o Mestre de Avis, os infantes D.João e D.Dinis) teria direito ao trono.  D. João, Mestre de Avis, era merecedor do trono porque tinha lutado muito pela causa da independência.

 

- Quem foi aclamado rei de Portugal?

- O Mestre de Avis foi aclamado «rei de Portugal» com o nome de D. João I, em 6 de abril de 1385.

 

Porque razão se iniciou uma nova dinastia? Como ficou conhecida?

- Uma dinastia é uma sucessão de reis pertencentes à mesma família por linha legítima. D. João, Mestre de Avis, era filho ilegítimo de D. Pedro, por isso iniciou-se uma  nova dinastia - a 2ª dinastia (a de Avis). 

 

 

Bibliografia:

 

Carneiro, R. (Dir.) (1997). Activa & multimédia, enciclopédia de consulta, Geografia e História de Portugal, Vol 7. Lisboa: Lexicultural

Factos e Figuras da História de Portugal, Correio da Manhã (1998)

Fernandes, I. (1999). Reis e Rainhas de Portugal, Lisboa: Texto Editora

Mattoso, J. et al. (1995). Tempos de Revolução, História de Portugal, Vol III, Lisboa: Caminho

Reis, A. (1996). Nun´Álvares Pereira, História Júnior, nº9, Porto: Edições Asa

Saraiva J. & Guerra, M.L. (1992). Diário da História de Portugal, Da Fundação aos Lusíadas, Lisboa: Difusão Portugal

 

 

 

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.